terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Os Três Dias de Escuridão

domingo, 27 de dezembro de 2015

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Afirmação Positiva: Petições Ho’oponopono

Afirmação Positiva: Petições Ho’oponopono: Considerações            A principal prática do Ho’oponopono é a repetição das frases “ Sinto muito. Me perdoe. Te amo. Sou grato “ . ...

quinta-feira, 17 de dezembro de 2015

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

                           


The Way You Are

Composição: Billy Joel

Don't go changing, to try and please me
You never let me down before
Don't imagine you're too familiar
And I don't see you anymore


I would not leave you in times of trouble
We never could have come this far
I took the good times, I'll take the bad times
I'll take you just the way you are


Don't go trying some new fashion
Don't change the color of your hair
You always have my unspoken passion
Although I might not seem to care


I don't want clever conversation
I never want to work that hard
I just want someone that I can talk to
I want you just the way you are.


I need to know that you will always be
The same old someone that I knew
What will it take till you believe in me
The way that I believe in you.


I said I love you and that's forever
And this I promise from the heart
I couldn't love you any better
I love you just the way you are.



Do Jeito Que Você É

Não fique mudando, para tentar me agradar,
Você nunca me decepcionou antes.
Não imagine que você está muito familiar
E que eu não vou mais te notar

Eu não te abandonaria em tempos de dificuldades,
Nós nunca chegaríamos tão longe.
Eu aceitei os bons tempos, vou aceitar os tempos ruins,
Eu Vou te aceitar do jeito que você é...

Não vá tentar alguma nova moda,
Não mude a cor do seu cabelo.
Você sempre tem minha paixão não declarada,
Embora eu possa parecer não me importar

Eu não quero conversas inteligentes,
Eu nunca quero me esforçar tanto.
Eu só quero alguém com que eu possa conversar,
Eu te quero do jeito que você é

Eu preciso saber que você sempre será
A mesma antiga pessoa que eu conheci.
O que será necessário até que você acredite em mim,
Do modo como eu acredito em você

Eu disse que te amo e isso é para sempre,
E isto eu prometo de coração.
Eu não poderia te amar mais
Eu te amo do jeito que você é...
Certo
Eu não quero conversas inteligentes,
Eu nunca quero me esforçar tanto
Eu quero simplesmente alguém com que eu possa conversar
Eu te quero do jeito que você é











quarta-feira, 13 de maio de 2015

Não Se Deixe Despedaçar Por Causa De Uma Relação


Não se deixe despedaçar por causa de uma relação!
:: Rosana Braga ::





Estranho pensar num processo de despedaçamento da gente mesma, não é? Ainda mais quando esse processo se inicia em função de um sentimento que tem o intuito divino de juntar... Mas é justamente ao ato de se deixar desintegrar e se misturar ao outro que estou me referindo, porque essa decisão - geralmente tomada inconscientemente - é muito mais comum do que supomos.

Muitas vezes, quando entramos num relacionamento e passamos a enxergá-lo como “a razão” de toda a nossa felicidade; quando nos sentimos perdidamente apaixonados (no sentido literal da palavra) e apostamos todas as nossas fichas na possibilidade de estendermos ao máximo essa sensação que preenche os nossos dias, corremos o sério risco de não sabermos mais onde termina o outro e onde começamos nós.

Ou seja, na intenção de nos tornarmos parte da vida do outro, perdemos a noção do que é parte essencial nossa - seja qualidade ou defeito - e passamos a considerar o outro como o “centro” e a “causa” de tudo de bom (e também de ruim) que sentimos.

Assim, perdemos a preciosa oportunidade que o amor deveria nos proporcionar. Perdemos a chance de olhar para nós mesmos através do outro, mas tendo plena consciência de que a pessoa amada é, em última análise, a projeção de um amor que existe primeiro dentro de nós mesmos.

Porque amar outra pessoa e se permitir experimentar a intimidade é, acima de tudo, um convite à descoberta do que há de mais valioso em nossa própria essência. No entanto, quando acreditamos - equivocadamente - que o que vivemos é mérito ou “culpa” do outro, permitimos que essa relação comece a nos despedaçar.

Começamos a nos tornar emocionalmente como pedaços, partes desintegradas de nós mesmos; e, assim, já não nos reconhecemos mais. Não conseguimos mais ter a exata dimensão de até onde podemos ou queremos ir. E nessa simbiose destrutiva, passamos a atuar em função do outro. Inevitavelmente sofremos, porque perdemos a única referência realmente válida: nosso próprio coração.

Se você se sente confusa e dolorosamente misturada à pessoa amada, sugiro que você comece a retomar o seu próprio centro. Isto é, concentrar-se em si mesma, em seus mais genuínos e pessoais sentimentos, a despeito do que o outro possa fazer diante deste resgate. Além disso, em princípio o objetivo nem é expressar tais sentimentos, mas apenas e tão somente reconhecê-los, aceitá-los e acolhê-los.

Depois, mais consciente de si mesmo, creio que seja o momento de começar a se fazer presente, de fato, nesta relação. Somente assim, você poderá compreender a exata dimensão dos acontecimentos, dos sentimentos e das razões que fazem com que você esteja ao lado dessa pessoa.

Reconhecer-se é ponto primordial e absolutamente fundamental para tornar construtiva e produtiva uma relação de amor. Caso contrário, você estará despedaçando-se dia após dia, literalmente se desfazendo em pedaços que perdem o sentido, que não complementam, que não justificam uma união. E, assim, deixa de ser pleno, de ser íntegro e, sobretudo, amante.

Porque amante é aquele que toma atitudes e faz escolhas... e pedaços não são suficientes. Amantes são inteiros que, humilde e sabiamente, emprestam-se como “metades” para dar vida ao amor do outro, mas sem nunca se misturar e se perder... Porque o amor é sempre um encontro, sem nunca ter saído à procura... um encontro singular de você consigo mesma, através da troca recíproca de dois corações transbordados de amor...